School of love..


Você estava tão perto e não tinha percebido.
março 29, 2010, 00:14
Filed under: Monday

Poderia imaginar sentir isso, mas nunca imaginei a dimensão que teria esse sentimento. Era como se eu fosse à pessoa mais perfeita do mundo. Você estava ali, do meu lado, talvez estivesse mandando sinais mais eu aqui distraído não percebi. Os dias passavam-se rápidos. Rápidos até demais. As noites eram tão lentas, talvez fosse porque você não saia da minha cabeça. Pois quando penso em você, eu tinha todo o tempo do mundo, era capaz até de contar grãos de areia de uma praia deserta, até mesmo às estrelas que existe nesse céu de tamanho infinito. Sem pressa. Pois não queria que nada fosse rápido quando estivesse contigo. Poderia parar ali, pra sempre estar junto a ti. Porque seu amor facilita tudo; E quando me deitava, era como se você estivesse aqui do meu lado, eu podia sentir os seus braços se envolverem em meu corpo de forma carinhosa. Imaginava tua respiração forte, assoando um dos meus ouvidos. Então já estava pronto para dormir, e te encontrar em meus sonhos, já poderia te encontrar e uma forma mais real, de uma forma que não poderia explicar. Pensar em você era transformar o que eu achava impossível, no real, no acreditável. Era como em um show de magia, o seu respeitável público atento aos truques que logo verá, e a reação que eles tem quando as ver. Eu fico assim, atento a cada passo teu, atento a cada sorriso. As reações que meu coração mostra, é diferente. É como seu eu nunca estivesse sentido antes, mas elas vão se contorcendo, se estendendo dentro de mim. A vontade de acarear você, de te ter só pra mim vem aos meus olhos como escuridão. Como se quisesse falar que era algo que nunca poderia acontecer. Talvez fosse coisa da minha imaginação, mas eu não poderia ter certeza de nada, e a única certeza que eu tenho é que te tenho e é pra sempre.

Anúncios


Aquelas histórias que levam nossa imaginação ao delírio.
março 25, 2010, 02:49
Filed under: Meus textos.

Não é porque não te tenho que me deixo entristecer assim. E sim o porquê não posso te tocar, não posso te sentir. A vontade que vem a cabeça é de poder chegar até você e mostrar um mundo que se criou dentro de mim. Um mundo onde existe o melhor conto, melhor história de amor que já se passou pelos olhos de qualquer pessoa. E só em pensar que um dia pensei em ser uma “Cinderela”, perde meu sapato de cristal para meu príncipe poder trazê-lo de volta para meus pés. Ser a “Rapunzel” com aqueles cabelos bonitos e extensos, para jogar do alto da torre e fazê-lo subir neles. Quem sabe a “Branca de Neve”, comer uma maçã envenenada e dormir até os lábios de um príncipe poder tocar ao teu. Mas são apenas histórias, histórias que levam nossa imaginação ao delírio, invenções de um lugar perfeito, um tudo perfeito. De certa forma, uma criatividade para o todo é criada, ela mesmo está em meus sonhos, desenhadas com lápis de cor, lápis negros a espera de alguém poder tornar toda essa imaginação abstrata que surgiu do nada em realidade absoluta.

Mas enquanto este príncipe não percebeu que a tua princesa está à espera dele –E não está longe, está mais perto do que imaginas. Ela continua a escrever tua historia, com aqueles mínimos detalhes que se tornam únicos, constrói no vazio que está dentro dela, tudo, mas só não consegue construir o amor da tua vida. Ela irá esperar, até quando der. Até quando o coração dela agüentar…

 



A prova real de que eles existem..
março 20, 2010, 07:53
Filed under: Meus textos.

“Então de repente sentir um breve e rápido arrepio dos pés a cabeça, que de certa forma aquilo me pareceu estranho, mas dominei tudo normalmente.” De alguma maneira era estranha a sensação, parecia que algo queria me perturbar, me assustar, de fato não sei o que estava acontecendo, mas fui lidando com tudo aquilo e tentando esquecer você, que se foi, pra tão distante, pra um lugar onde não posso te resgatar. Onde não posso te tocar. Onde não posso te ver. Onde nada posso fazer. Caminhando pela rua, fico perdido nos ares, procurando estrelas que possam me mostrar o caminho, para que mesmo não querendo, poder tirar você de mim. E cada dia que se passava, as estrelas iam sumindo, tornando meu caminho mais longo, mas triste, mas infeliz. Talvez fosse algo da minha imaginação, Era como se eu já tivesse visto aquilo de alguma maneira, era como uma reação psicológica tipo um Déjà vu. Mas logo as evidências, as aparências, tudo que se pode conciliar como: “Coincidência” ia aparecendo, e cada dia que passava eu tinha mais certeza de que era você, que sempre esteve ao meu lado.

Tirando a prova:

Na segunda-feira Elizabeth foi ao tumulo do Josh. Com ela foram as rosas brancas que as jogará em cima do seu tumulo, foram rosas de campo as suas preferidas. Tentando tirar a prova de que tudo aquilo era besteira, Elizabeth sentou ao lado do tumulo. E de repente as sensações que sentia eram diferentes, estranhas. Elas que iam fazendo o teu corpo enfraquecer de maneira inevitável. Mas tudo aquilo, era pra protege-la. E mesmo não o vendo ela poderia sentir. Ela poderia te-lo. E sentir o teu toque, o teu abraço, a tua presença. Josh existia sim! Ele de alguma maneira queria mostra-la o outro lado da vida, gastou todas suas energias para faze-la senti-lo ao menos uma vez. Ela não acreditava em anjo até conhecer Josh, que a deu, a prova real, de que eles existem.



RASTROS.
março 20, 2010, 07:52
Filed under: RASTROS

You’re still the one that makes me laugh, still the one that’s my better half. We’re still having fun, and you’re still the one, you’re still the one that makes me strong; Still the one I want to take along, we’re still having fun, and you’re still the one.

                     Tudo: Orkut l twitter l school of love l tumblr l flickr l hipeteen 



Mas se um dia ele enfraquecer me perdoe, foi de tanto esperar..
março 13, 2010, 01:35
Filed under: Meus textos. | Tags:

Sinto agora nossas mãos se afastarem, como um grude que perde a cola. Olho para todos os lados e não vejo nada, só uma pequena luz do lado oeste que aos poucos vai se desfazendo. Você continua o mesmo, mas meu coração aos poucos se fragmenta. Eu te fiz esperar, mas nada ocorreu como em meus planos, então você partiu pra outra. Fui perdendo tudo, perdi o chão, perdi o ar, queria me matar. Mas não queria te perder, passou pela minha cabeça te seqüestrar, pra ter você só pra mim. Meu corpo já não sabia o que era sentir algo. Já não sabia o que era ser um corpo. Aos poucos eu tentava reconstruir o mundo que você derrubou em mim, eu olhava pra você e imaginávamos o que poderíamos um dia planejar. Lembro-me quando envolvia tua mão no meu pescoço, me apertava a você e ia me beijando aos poucos, fazendo-me arrepiar dos pés a cabeça, me fazendo sentir tudo que um dia sempre quis. Era você com certeza: A pessoa perfeita para minha vida.

Mas que pena, nada que planejamos deu certo. Você está feliz com outra pessoa. Mas meu coração continua aqui, forte, a espera de um dia poder te ter. Mas se um dia ele enfraquecer me perdoe, foi de tanto esperar você que prometeu voltar e dizer que ainda me “amava”.



JUST FOR YOU.
março 10, 2010, 11:47
Filed under: Meus textos. | Tags:

É estranho às vezes sentir isso. Quando vemos que é real, às vezes encontramos altos e baixos nisso tudo. Eu queria poder chegar pra você e dizer tudo que sinto, pode ser estranha tua reação, sua timidez me encanta. Você apareceu assim do nada e de repente, e arrancou meu coração e guardou em no bolso direito da tua camisa. Tem que ser você, não pode ser mais ninguém; Os dias, as noites, aquelas mínimas horas que fiquei ao teu lado, deu pra perceber que você é tudo que eu sempre quis. Mas tenho medo, às vezes sozinha, a verdade vem a me afrontar. Não sei bem se é verdade, mas sinto que sim. Quando falam de você, meu coração vai aos céus. E tudo que quero no momento é teu beijo. Teu amor. Tua vida. Você. Acho que não consigo viver sem tua paixão. As borboletas do meu estomago me avisam sempre, que você é perfeito. E claro, acreditar nelas é inevitável. Se eu pudesse falar ao menos o que estou sentido agora, seria o bastante pra você entender que eu sou alguém especial, como você é pra mim. Mas que pena nada aqui é fácil, de repente minha timidez toma conta de mim, e às vezes acho que isso é impossível, mas como dizem: “Nada é impossível.”; Mas não custa nada tentar. Eu me arrisco, Just for you.

Para uma das minhas melhores amigas, cuja o coração dela está indeciso. Siga em frente, conquiste-o; você consegue. Nunca desista.



IF ONLY.
março 6, 2010, 04:14
Filed under: Meus textos. | Tags:

Não importa se você tem 5 minutos ou 50 minutos de vida, o que importa é o agora.” – Foram suas últimas palavras antes do ocorrido. Minha convivência sem você a cada dia que passava se tornava mais difícil, mas impossível. As emoções e os pensamentos e as sensações e as memórias e tudo isso enfim que se contorce no mais – de dentro de uma pessoa — tinha ângulos? Havia lados mais como direi? Fragmentava-se: eram os pedaços descosturados de uma colcha de retalhos. Mas sempre ali estava meu coração dando uma de mente, pensativo, sempre concentrado em você. Os dias estavam se passando rapidamente, eram dias vazios, dias de temor, de solidão, dias sem você. Depois de tantos anos juntos, nunca se passou pela minha cabeça que isso terminaria assim. Está escrito em minha memória tua lembrança, e em meu coração com caneta inapagável teu nome com letras de forma. Quando temos a visão de uma realidade que não queríamos estar, paramos e tentamos compreender alguns detalhes. É duro ter que viver sem você. Tudo que faço torna-se insignificante. A dor de não poder te ter, trás infelicidade na minha vida. Às vezes não acreditamos que tudo isso aconteceu, mas paramos, choramos e sentimos. Sim, é uma sensação diferente, mas tudo na vida tem um fim e um recomeço.

Uma vontade de interromper-se aqui, paladar estragado pelo excesso de cigarros tentando inutilmente dar um nome ao gosto que fugia entre os dentes. De repente, uma louca vontade de sumir, desaparecer vem a me perturbar, – É mais difícil do que pensava não te ter. Cansada dos dias de sofrimento cheguei à conclusão de sumir, literalmente. “É errado tirar a própria vida.” Mas parecia ser uma boa maneira de fugir de toda aquela amargura que rondava meu corpo.

Dada a ausência pelos amigos, dias depois, Janeth Schott Harrison foi dada como morta. Ela escreveu “CHRIS” no teu pulso com uma faca de ponta, tirando a tua própria vida. Foi encontrada ao lado do guarda-roupa em cima do criado mudo, uma carta com a assinatura dela. A carta dizia assim: -“A vida estava sendo muito difícil pra mim, não poderia suportar mais um segundo aqui.” Foram essas as palavras que foram postas ao seu tumulo. Mas uma vida indo embora. A vida de Janeth começou maravilhosa, e terminou tragicamente. O ultimo suspiro, o ultimo movimento dela, que se foi. E agora se encontra deitada em baixo de terra fria, ao lado do teu grande amor a quem ela tirou a tua vida.